Archive for the ‘O movimento é sexy’ Category

h1

Sobre a moça indiana estuprada por 6 homens

29 de dezembro de 2012

 

Nenhum indiano aí achou isso natural

 

protesto índia

 

[Foto de um dos protestos pelo fim da violência sexual e por mais segurança ocorrido após a morte da jovem vítima de estupro em Nova Deli – Índia]

h1

Raio de Ação

6 de setembro de 2012

Muito interessante a experiência de trabalhar com e para nossa comunidade.

Acabo de voltar de uma reunião com um coletivo de cultura que está se reestruturando aqui no conjunto Satélite, em apoio às candidaturas de Edmilson Rodrigues e da professora Silvia Letícia. Fui atraída para a atividade pela proposta de discutir novos rumos para O CURURÚ – Pagando o sapo na galera, o jornalzinho impresso que circula pelo Sat há anos.

Me intrigou bastante notar a diversidade daquele espaço (tivemos a presença de estudantes, funcionários públicos, evangélicos, católicos, umbandistas, militantes, filósofos, donas de casa e artistas) e o sentimento de pertença e responsabilidade daqueles e daquelas moradoras, independente de estarmos nesse momento de campanhas eleitoral.

O conjunto Satélite tem uma tradição histórica de movimentação cultural. Por ali já se passaram várias rockadas, carnavais, festivais, guerrilhas poéticas, campeonatos esportivos, enfim, toda sorte de manifestações. É certo que hoje este movimento está tímido, mas o que eu vivenciei naquela troca de experiências foi que aqueles moradores estão mesmo dispostos a sair do saudosismo do “já teve” e perseguir bem mais.

A conjuntura é propícia, a hora é essa.

Aquelas ruas, aquelas casas, aquelas praças, aquelas pessoas reacenderam meus olhos para o poder da cultura e da comunicação popular e alternativa como premissas básicas para a transformação social. E se eu não tenho os olhos voltados pra minha comunidade, vou voltá-los para onde?

Está definido meu raio de ação. Convidarei vocês para o lançamento da nova edição do Cururú muito em breve 😉

h1

Ressignificando a poesia

28 de agosto de 2012

É impressionante como esse poema do Thiago de Mello faz parte da minha vida, não importa o momento que eu esteja vivendo.

Esse período de eleições tem me trazido muitas reflexões sobre minhas convicções como agente histórico e transformador da realidade ao meu redor…

Tantas e tão profundas que só caras como o Thiago conseguem traduzi-las em palavras.

Para os que virão

Como sei pouco, e sou pouco,
faço o pouco que me cabe
me dando inteiro.
Sabendo que não vou ver
o homem que quero ser.

Já sofri o suficiente
para não enganar a ninguém:
principalmente aos que sofrem
na própria vida, a garra
da opressão, e nem sabem.

Não tenho o sol escondido
no meu bolso de palavras.
Sou simplesmente um homem
para quem já a primeira
e desolada pessoa
do singular – foi deixando,
devagar, sofridamente
de ser, para transformar-se
– muito mais sofridamente –
na primeira e profunda pessoa
do plural.

Não importa que doa: é tempo
de avançar de mão dada
com quem vai no mesmo rumo,
mesmo que longe ainda esteja
de aprender a conjugar
o verbo amar.

É tempo sobretudo
de deixar de ser apenas
a solitária vanguarda
de nós mesmos.
Se trata de ir ao encontro.
( Dura no peito, arde a límpida
verdade dos nossos erros. )
Se trata de abrir o rumo.

Os que virão, serão povo,
e saber serão, lutando.

 

*Ainda me arrepio a cada verso*

h1

CUIDADO, NÃO ME SIGA

21 de agosto de 2012

 

MINHAS IDEIAS ESTÃO VOLTANDO A SER PERIGOSAS

 

h1

Nós não precisamos de muita coisa,

3 de agosto de 2012

 

só precisamos uns dos outros.

 

[Carlito Maia, o publicitário que eu tô conhecendo – e me identificando – agora]

h1

Não abro mão

3 de julho de 2012

Eu sinto bem forte que mudei deveras do início do ano pra cá.

Estou mais calejada, segura de mim, vaidosa, confusa, sem limites, corajosa, beberrona, desprendida, irresponsável e gorda.

Não que eu seja camaleônica, muito pelo contrário, nunca me dei bem com mudanças, mas é que de alguma forma 2012 está me convidando para grandes metamorfoses…

Isso sacode a cabeça de qualquer malandro, sabe como é.

Planos completos de vida que mudam a cada fração de segundo, freneticamente…

Tô zonza!

Mas que soprem os ventos para que se rompam os casulos!

Aí só tem uma coisa da qual eu não abro mão, pouco importa a nova edição da crise existencial que esteja rolando por aqui

 

 

Siempre!

 

.

h1

Fiz o que pude

26 de junho de 2012

Quando eu era pequititita, li um livro que contava a história de um passarinho que teve a floresta onde morava incendiada. No meio do incêndio os bichos todos fugiam, menos um passarinho, que  voava de um lado pro outro, incansavelmente, levando gotinhas de água no bico para cessar a catástrofe. O leão, que também fugia, vendo aquela arrumação do bichano, parou e perguntou se ele estava louco de achar que ia influenciar em alguma coisa naquele fogaréu todo. O passarinho diz que não sabe no que aquilo vai dar, mas que no final de tudo, quando alguém lhe perguntar o que fez pra salvar a floresta, ele poderá responder tranquilamente: “FIZ O QUE PUDE”.

Talvez eu tenha somatizado essa estorinha na minha formação, sabe? Tanto, que o nome desse blog aqui, se não fosse Quase Heroína, seria “fiz o que pude”.

Fazer o que puder, sem derrotismo ou frustrações, encarando a realidade.

Esse é o sistema.

Porque o mundo precisa de mais passarinhos corajosos e menos leões fujões.

 

[e essas perturbações na minha cabeça não vão me fazer parar]

 

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Grupo Ecosol

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

Das Lutas

Coletivo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Destina-se a abordar criticamente acontecimentos relacionados à política, à economia e à cultura no Brasil, na Amazônia e no Pará em contraponto com a visão editorial conservadora dos chamados grandes órgãos de comunicação.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

CINE CCBEU

Em fase de treinamento.

Cine Líbero Luxardo

Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves

CINE OLYMPIA

Em fase de treinamento.

Centro Cultural SESC Boulevard

Em fase de treinamento.

BLOG DO BARATA

Em fase de treinamento.

Site da Enecos

Em fase de treinamento.

Xingu Vivo

Em fase de treinamento.

Hupomnemata

Em fase de treinamento.

Manuel Dutra

Em fase de treinamento.