h1

Pra não dizer que não falei de flores

17 de janeiro de 2012

(como havia prometido)

Quando pequena, eu era dada à jardinagem. Tá bom, talvez jardinagem não seja o termo mais apropriado pra uma menina de 8 anos que gostava de plantar umas coisinhas aqui e acolá, mas o fato é que eu me garantia na manutenção de um canteiro cheio de plantinhas que eu ganhava da vizinhança.

Naquele tempo, sábado era dia de tirar o mato que crescia no canteiro, ornamentá-lo com pedrinhas, ajeitar os tijolos que o circundavam… Aquilo era uma verdadeira diversão pra mim, e embora eu não tivesse técnica alguma, meu canteirinho era bonito que só ele. =p

Mas aí veio as responsabilidades da vida e quando eu comecei, na oitava série, a estudar nos dois turnos, meu jardim virou um matagal. As plantinhas foram se perdendo, morrendo, até que meu pai mandou capinar TUDO. Fiquei arrasada, mas como já não conseguia mantê-las saudáveis, não tinha muita coisa a se fazer. Hoje, no lugar onde o jardinzinho ficava, existe um bando de pedregulho que as vezes me surpreende um uma plantinha que resurge…

No fim do ano passado eu conheci um brother que mora aqui na periferia do meu conjunto e trabalha com jardinagem. Ele fez a floreira do meu pátio a pedido do meu pai, e acabamos ficando colegas. Pedi pra ele me descolar umas roseiras pra eu presentear pessoas queridas no natal e foi aí que eu passei a retomar o gosto pelas plantinhas…

A roseiras chegaram aqui naqueles saquinhos pretos, aí tive que passar pro vaso, aguar, fazer todo um processo. Pensei até que elas não iam sobreviver, mas agora elas estão lindas, maravilhosas e floridíssimas.

Não foram presentes de natal, mas serão de anivesário. Pessoas queridas, aguardem 😉

O próximo passo é transformar uma churrasqueira velha e enferrujada em floreira e iniciar uma horta suspensa…

Mas por enquanto, o que tem me dado mais gosto é ir todas as manhãs no quintal, babar por cada rosinha que nasce na madrugada :]

Me faz tão bem, sabe? *____*

Elas chegaram assim:

E estão ficando assim:

Jardinagem é mais um item no meu treinamento de heroína. 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Grupo Ecosol

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

Das Lutas

Coletivo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Destina-se a abordar criticamente acontecimentos relacionados à política, à economia e à cultura no Brasil, na Amazônia e no Pará em contraponto com a visão editorial conservadora dos chamados grandes órgãos de comunicação.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

CINE CCBEU

Em fase de treinamento.

Cine Líbero Luxardo

Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves

CINE OLYMPIA

Em fase de treinamento.

Centro Cultural SESC Boulevard

Em fase de treinamento.

BLOG DO BARATA

Em fase de treinamento.

Site da Enecos

Em fase de treinamento.

Xingu Vivo

Em fase de treinamento.

Hupomnemata

Em fase de treinamento.

Manuel Dutra

Em fase de treinamento.

%d blogueiros gostam disto: