h1

Cores de Almodóvar

9 de janeiro de 2012

Mesmo que “A pele que habito” seja considerado um thriller, as “Cores de Almodóvar” continuam lá, deslumbrantes. E dessa vez, é o contraste com a esfera sombria da fotografia do filme que, pra mim, dá um efeito sensacional: um quarto de paredes e objetos cleans com a colcha completamente suja de vermelho sangue, o vestido pink da personagem desacordada no chão do jardim sombrio, um carro em chamas na noite escura, o refén em um cativeiro inóspito bebendo água no balde azul piscina, a manta carmim sobre o sofá de um quarto solitário…

Pesquisando, descobri que por trás de todas essas cores, existe as obras do designer gráfico argentino Juan Gatti, parceiro de Almodóvar desde 1988. E como desingner gráfico, Gatti já deu o tom para a “identidade visual” (publicitariamente falando) de  diversos filmes do diretor. Falo de identidade visual porque a estética pensada por Gatti para cada filme é utilizada como uma espécie de briefing para a direção de arte, que pensa sua produção não somente a partir do roteiro, mas também da obra do artista. Se observarmos os cartazes, veremos que eles dialogam perfeitamente com a estética do filme a que diz respeito. Estamos falando das imbricações entre cinema, arte e comunicação =]

Mulheres à beira de um ataque de nervos

Ata-me!

Má educação

Volver

Abraços partidos

A pele que habito

Foi justamente o cartaz de “A pele que habito” que me chamou atenção para a obra de Gatti. No filme, a imagem do cartaz aparece em um quadro na sala de Robert (o tudíssimo agora coroão Antonio Banderas), e ele faz parte de uma série chamada “Ciencias Naturales”, de obras belíssimas como estas aqui:

O filme é tão cheio de elementos e tem uma narrativa tão frenética que deixa a gente inquieto do início ao fim. E o fim, minha gente, é o melhor que Almodóvar poderia inventar… genial!

Valeu a pena enfrentar a chuva e a fila enoooorme do Maria Silvia Nunes para assistí-lo.

E ainda deu tempo de dar uma passada na praça do carmo, ver o Eloy todo montado e perceber que o carnaval já começou em Belém do Pará!

Mas essa é outra postagem.

A quem interessar, A pele que habito ainda está em cartaz no Cine Estação das Docas.

11 (quarta), às 18h e 20h30

12 (quinta), às 18h e 20h30

15 (domingo), às 10h, 18h e 20h30

Ingressos: R$ 7,00 (com meia-entrada para estudantes).

RECOMENDADÍSSIMO!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Grupo Ecosol

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

Das Lutas

Coletivo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Destina-se a abordar criticamente acontecimentos relacionados à política, à economia e à cultura no Brasil, na Amazônia e no Pará em contraponto com a visão editorial conservadora dos chamados grandes órgãos de comunicação.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

CINE CCBEU

Em fase de treinamento.

Cine Líbero Luxardo

Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves

CINE OLYMPIA

Em fase de treinamento.

Centro Cultural SESC Boulevard

Em fase de treinamento.

BLOG DO BARATA

Em fase de treinamento.

Site da Enecos

Em fase de treinamento.

Xingu Vivo

Em fase de treinamento.

Hupomnemata

Em fase de treinamento.

Manuel Dutra

Em fase de treinamento.

%d blogueiros gostam disto: