h1

Quem vai ficar com o Play?

9 de dezembro de 2011

Num dia propício para planos de dominação mundial, um grupo de meninos levados que enriqueceram depois de suas bricadeiras como prefeitos e deputados, resolveu tomar um goró e planejar como ficar mais rico – queriam bancar suas aventuras de verão com as putas do leste europeu.
Foi aí que um deles teve a ideia brilhante, digna das maiores meninices que se tem relatos na história:

-E se a gente Dividir essa porra desse estado? Cês sabem, né, nas bandas de cá a gente tem mais moral pra mandar e desmandar, é todo mundo analfabeto e miserável mesmo!
-Pode crer!
-Mandou bem!
-E não é que tu pensa, doido?

Podia-se ouvir as gargalhadas desses fanfarrões de longe!

Quando souberam da novidade, os meninos da capital se morderam. Como é que pode, aquele bando de agroboy querer disputar com quem herdou toda a bandidagem no Play?

-Fodeu, mano, os bichos lá das quebradas tão a fim de fazer onda com a nossa cara, roubar nosso setor. Se eles conseguirem dividir essa porra desse Pará, qual é a floresta que a gente vai vender pros caras da madeira, onde a gente vai enfiar os bois, onde a gente vai plantar soja, com quem a gente vai barganhar pra descolar uma grana dos minérios?

-Logo agora, que tão construindo Belo Monte?
-Égua, pior!
-Tá foda!
-NÃO E NÃO – bateu o pé o mais birrento dos moleques.
Aí, como eles precisavam de um tal de POVO pra decidir essa parada, a briga de menino virou briga de cachorro grande.

Os agroboys pensaram:

-Vamo chamar aquele cara da Bahia, ele sim sabe enrabar qualquer eleitor! A gente filma um monte de menino do buchão e velhinho desdentado, aí  implora pra Belém não fechar os olhos pra eles, quero ver que vai botar!

Já os Playba da Capital…

-Vamo chamar a Fafá de Belém! Ela canta, chora, grita e tem os peitões! Aí a gente fala que o Pará é grande, que o Pará é rico, que a gente tem que se unir e… BLAAAAAHG! (um deles vomitou).
E dá-lhe campanha de não e não e 55, de gente pobre e 77…
E é por causa dessa briga de menino que eu vou ser a LARA no domingo,  tendo que sair de casa pra votar em quem vai ficar com o maior playground num evento intitulado “Plebiscito da divisão do Pará”.
É, meus amigos. Política é coisa séria! Quem é que duvida, heim?

Anúncios

One comment

  1. […] impressão geral sobre o assunto eu já expressei aqui, e não tem nada de acadêmica, […]



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Grupo Ecosol

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

Das Lutas

Coletivo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Destina-se a abordar criticamente acontecimentos relacionados à política, à economia e à cultura no Brasil, na Amazônia e no Pará em contraponto com a visão editorial conservadora dos chamados grandes órgãos de comunicação.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

CINE CCBEU

Em fase de treinamento.

Cine Líbero Luxardo

Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves

CINE OLYMPIA

Em fase de treinamento.

Centro Cultural SESC Boulevard

Em fase de treinamento.

BLOG DO BARATA

Em fase de treinamento.

Site da Enecos

Em fase de treinamento.

Xingu Vivo

Em fase de treinamento.

Hupomnemata

Em fase de treinamento.

Manuel Dutra

Em fase de treinamento.

%d blogueiros gostam disto: