h1

Eu sei costurar…

27 de junho de 2011

… desde pequena, e sou autodidata.

Tá, minha mãe me ensinou a enfiar a linha na máquina, mas o resto eu aprendi sozinha.

Não queria.

Queria ter feito um curso bem bacanudo e saber fazer até casa de pano, sabe?

Mas aí, pô, não vou jogar o meu autodidatismo fora, né? Me viro como posso, todo mundo diz que eu costuro bem e sempre tive exemplos, principalmente na música, de artistas muito fodas que eram/são autodidadas.

Me empolguei.

Tanto que resolvi botar isso pra frente e acreditar no meu horóscopo, vendendo minhas coisinhas de pano. Perdi muito tempo, marquei muita tôca, mas agora tá rolando.

nhami-nhami

Modéstia a parte, eu sempre tive bom gosto. As roupas da minha barbie eram as mais bonitas da rua e nunca foram compradas em loja, era eu mesmo que fazia.

Claro que eu já tive fases bizarras, de andar toda combinando, usar anel de pom-pom , gel no cabelo e tatuagem de strass no braço, mas aí, né, faz parte do processo, experimentar pra nunca mais voltar a fazer igual, hehe.

Hoje eu me sinto a vontade com o que eu gosto, com o que eu crio, sem que exista qualquer coisa com egocentrismo envolta nessa questão (pelo contrário: é a soma das observações do que há de melhor no outro que eu incorporo em meus processos criativos, até alcarçar meu toque pessoal).

E eu não falo só de materialidades não, porque pra mim elas são consequências de certa maturidade das experiências de vida e de tudo em que eu me constituí até agora.

Tento fazer com que minhas artes reflitam essas experiências, e isso acarreta inclusive na forma como gerencio minhas vendas: não quero que o que eu faça seja vendido só pra enfiar grana no meu bolso, ao final das contas. Eu quero que as pessoas se sintam satisteitas e que elas apostem no meu trabalho.

Dizer mais que isso é fazer discurso do capital =p

Por enquanto, só sei fazer bolsas e acessórios de um jeito que eu, ao finalizar o processo, conclua: me garanti! (expressão roubada do namorado)

Roupas eu até faço, mas só pra mim. Ainda não me garanto e a minha máquina não permite um acabamento massa pra elas.

/meu

Mas isso é questão de tempo… espera só pra ver!

Vou passar a postar essas criações minhas aqui (elas também estão inclusas no pacote de treinamento para super-heroínas, uhul!)

Aceito sugestões, críticas, papo furado, dicas, tecidos e, é claro, ENCOMENDAS!

=]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate

Grupo Ecosol

Grupo de Pesquisa em Economia Solidária

Das Lutas

Coletivo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Destina-se a abordar criticamente acontecimentos relacionados à política, à economia e à cultura no Brasil, na Amazônia e no Pará em contraponto com a visão editorial conservadora dos chamados grandes órgãos de comunicação.

Ginecosofía

Sabiduría Ancestral de las Mujeres

CINE CCBEU

Em fase de treinamento.

Cine Líbero Luxardo

Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves

CINE OLYMPIA

Em fase de treinamento.

Centro Cultural SESC Boulevard

Em fase de treinamento.

BLOG DO BARATA

Em fase de treinamento.

Site da Enecos

Em fase de treinamento.

Xingu Vivo

Em fase de treinamento.

Hupomnemata

Em fase de treinamento.

Manuel Dutra

Em fase de treinamento.

%d blogueiros gostam disto: